Vídeo

Cantinho da História 108: Holocausto a visão de Hannah Arendt

1 maio

Centésimo oitavo episódio da série educativa Cantinho da História. abordando alguns aspectos da interpretação do Holocausto, a pedido de Josemir Abreu.

Anúncios

8 Respostas to “Cantinho da História 108: Holocausto a visão de Hannah Arendt”

  1. Solange De Morais Sermoud maio 8, 2014 às 12:40 am #

    Gostei muito do vídeo e gostaria de saber mais. Você falou do capitalismo e sua ação na sociedade através da produção em larga escala como um dos responsáveis pela desumanização do indivíduo, especialmente em um regime totalitário. O que dizer do comunismo que também produziu grandes genocídios, por exemplo, na Ucrânia antes mesmo da II Grande Guerra sob ordens de Stalin?.
    Agradeço desde já e parabéns pelo excelente trabalho!!!!

    • annagicelle maio 8, 2014 às 4:47 pm #

      Olá Solange, a Hannah Arendt trata de várias experiências totalitárias, no contexto específico da produção capitalista. Chamar o stalinismo de comunismo (sem fazer as devidas ressalvas teóricas) é complicado porque na verdade Stalin implantou um capitalismo de estado (ele estatizou a produção ao invés de coletivizar, que é o que um verdadeiro comunista faria). Existem outras maneiras de desumanizar o “outro” além dessa sugerida pela Hannah Arendt, veja a escravidão, a inquisição e outras formas de genocídio em que as populações massacradas sempre tem um componente cultural ou étnico bem diferenciado daqueles que promovem os massacres. É um tema super complexo e a visão da Hannah Arendt é uma abordagem válida, mas nem de longe suficiente para explicar tudo. Um grande abraço!!!

      • Solange De Morais Sermoud maio 8, 2014 às 7:05 pm #

        Obrigada pelo esclarecimento!
        Seria muito bom se você aprofundasse para nós essas diferentes realidades do comunismo no mundo. Sabemos pouco, e o que sabemos talvez esteja impregnado de estereótipos.

        O vídeo sobre a Revolução Cubana foi muito importante, pois a minha visão era bem negativa em relação ao regime, que como você falou, foi em certa medida, produto de uma sequência de fatores externos e não um projeto dos revolucionários

        Abração!!!.

      • annagicelle maio 8, 2014 às 11:10 pm #

        Obrigada Solange, vou anotar sua sugestão!!! Abraços!!!

  2. Eduardo Roberto junho 17, 2014 às 1:19 am #

    Show esse vídeo. Por muito tempo consumi um site que pode ser considerado o rei das conspirações: http://www.inacreditavel.com.br/

    E eu realmente acreditei nesse site. Segundo eles, os Nazistas não eram tão cruéis assim. Foram demonizados pois perderam a guerra. Eles falam que não teve extermínio, camara de gás e etc. Só teve campos de concentração, assim como nos EUA também concentraram os japoneses.

    A minha crença sobre essa conspiração foi tão grande que acabei pegando birra de sionistas, achando que eles controlavam tudo. O caso do Eichmann era a prova da perversidade dos sionistas.

    Porém, eu já desconfiava que o Eichmann foi vítima de um espetáculo. Apesar de não separar as coisas muito bem e culpar os judeus. E é esse o problema desse site do Inacreditável. Pegam uma verdade (do cara ser apenas um burocrata) e a usam para pregar o ódio contra os judeus. Como se uma coisa justificasse a outra. E uns tontos como eu acabam caindo… hahah…

    Agradeço por conhecer o seu site. E a partir dele, acabei descobrindo onde buscar informações corretas. Sem conspirações. =)

    Aproveitando o gancho, já viu esse documentário?

    Abraços

    • annagicelle junho 17, 2014 às 11:32 am #

      Olá Eduardo, que bom que você veio para o lado menos paranóico da força (se me desculpa a piadinha). Sites que espalham teorias da conspiração se alimentam do desconhecimento para espalhar o medo e o preconceito. E é muito fácil ser envolvido nesse clima. Obrigada pelo link, já estava com esse documentário na minha lista para assistir nos próximos dias, parece interessante. Um abraço!!!

  3. Sofia Giotto novembro 22, 2014 às 1:05 pm #

    Professora, a senhora disse que esse processo de desumanização começava quando o rabino fornecia a lista dos congregados para os alemães. Eu não entendo qual era o motivo para ele passar essa informação e por que poderiam ser coniventes com o sistema ou qual eram os interesses ocultos. A senhora poderia me esclarecer?Eles recebiam por isso?Ou eram agraciados de alguma forma?Ou serviam a interesses de outros judeus?
    obrigada

    • annagicelle novembro 22, 2014 às 4:46 pm #

      Olá Sofia, não existe uma única explicação para a atitude desses rabinos. O que se acredita é que eles podem ter sido induzidos a acreditar que se colaborassem com os alemães, suas comunidades seriam poupadas. Em um primeiro momento, não se sabia exatamente o que acontecia após as deportações. Demorou vários meses para que as histórias sobre os campos começassem a circular, e mesmo assim muitas pessoas não acreditavam que poderia ser verdade. Comunidades judaicas, solidamente estabelecidas, com sinagogas datando do século XVIII não conseguiam entender e processar a magnitude do crime que estava sendo cometido contra eles, pensavam que os países em que viviam os defenderiam, e isso não aconteceu. Até hoje existe muita polêmica em torno do papel dos líderes das comunidades judaicas e a própria Hannah Arendt foi muito perseguida por chamar a atenção para esses fatos. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: