Arquivo | Notícias do dia a dia RSS feed for this section

O preço da Carta Capital: sabotagem?

29 jul

Ao adquirir a edição desta semana (número 708) fomos surpreendidos com uma situação, quando muito, bizarra. Na banca do supermercado  Extra da Abolição (aqui em Campinas), ao passar o código de barras pelo sensor do caixa, o preço cobrado foi de R$ 19,90 (ao invés 9,90 que é o de capa). Até ai, assim que notado, a pessoa responsável estornou o valor pago a maior e nada de mais aconteceu. Mas, muito nos surpreendeu que isso tivesse acontecido com a edição que traz na capa denúncias sérias contra o ministro Gilmar Mendes, que o colocam sob suspeição para participar do julgamento que começa esta semana. Estamos acostumados a ver a revista sumir quando da publicação de matérias controversas, mas esse tipo de sabotagem é coisa nova. A pergunta é: o erro (ou sabotagem) ocorreu na gráfica ou na distribuidora? A responsável pela banca afirmou que isso só poderia ter acontecido na distribuidora, que é quem atribui o preço. Portanto, amigos, muita atenção na hora de comprar e cuidado porque tudo indica que existem interesses espúrios que procuram impedir o acesso a informação de qualidade.

Anúncios
Vídeo

Entrevista de Eduardo Galeano à RTP

23 jun

sensacional, sempre….

Segurança alimentar.

14 maio

Para uma família de três pessoas, a compra semanal de horti-fruti pode variar de sessenta a setenta reais, dependendo do local da compra e a qualidade dos produtos escolhidos. E não estamos falando de nada do outro mundo (grapefruit, pêssegos ou frutas exóticas do sul da Ásia), estamos listando batatas, cenouras, tomates, pepinos, maçãs, vagens, brócolis japonês, repolho, acelga, limões, laranjas, pimentões, abacaxi, pêras, alfaces, rúculas, cebolas, alhos, erva-doce, salsão, gengibre e ovos. E isso nem sequer se refere a produtos orgânicos, que são bem mais caros. Alimentar-se de modo saudável é uma necessidade, mas o alto custo dessa dieta transformou-a num luxo a que a maioria das pessoas nem sequer tem acesso. Segurança alimentar implica em condições para todos de adquirir um produto bom a preço justo. Para isso é necessário fortalecer a agricultura familiar, eliminar os intermediários, incentivar os produtores locais e educar a população para eliminar da dieta o lixo industrial pronto, que facilita a vida mas mata o paladar e envenena o corpo. Como faremos isso é a pergunta que se impõe.

Vídeo

Entrevista com Galeano.

14 maio

Envelhecer assim é um privilégio para poucos…

Carta Capital, leitura obrigatória.

14 maio

A edição desta semana continua batendo firme nas ligações entre a grande media nacional (Veja, Globo, …) e o esquema do bicheiro Carlinhos Cachoeira. Imperdível pela seriedade da informação. Fora isso, bela entrevista com o sempre lúcido e incrível Edgar Morin; reportagem revoltante sobre as mulheres da elite e seu cotidiano de consumismo banal e superficialidades cegas; uma análise sobre a crise americana e a estréia de uma nova montagem de “A morte de um caixeiro viajante” de Arthur Miller. É importante frisar que a leitura de um bom semanário (honesto e minimamente abrangente) não só é imprescindível para acompanhar o que acontece no Brasil e no mundo, como também para poder criticar a media canalha que tenta desesperadamente reconduzir a elite tucana ao poder. Mesmo com suas limitações (a obsessão com o caso Battisti e a falta de conhecimento de alguns de seus críticos literários) Carta Capital ainda é a melhor revista semanal em circulação no país.

A marcha pelo estado laico.

14 abr

Hoje é o dia da marcha pelo estado laico aqui em São Paulo e não poderei ir. As limitações da vida às vezes acabam poe comprometer a militância e o desejo de defender aquilo que nos é mais importante. entretanto, espero que esta manifestação consiga reunir uma boa multidão em um momento em que estamos cercados pela intolerância religiosa. As bancadas católica e evangélica do congresso estão pressionando por leis absurdas de imposição da religião nas escolas e controle da sociedade. Não podemos deixar que isso avance, já bastam a miséria e a ignorância presentes em sociedade, não precisamos também da intolerância e do fanatismo!